segunda-feira, 28 de julho de 2014

A esquerda, a direita e outros bichos

A esquerda quer mudar o mundo. A direita enxerga no mundo a sua verdadeira face. A extrema esquerda vê nessa verdadeira face do mundo, sua beleza. A extrema direita não acha nada belo, além do próprio espelho. O centro é talvez, depende, quem sabe.

A esquerda acredita que o homem pode mais. A direita vê a miséria dos outros e dá de ombros, c'est la vie, ou melhor, that's life. A extrema esquerda fica revoltada e quer mudar isso de qualquer jeito. A extrema direita fica revoltada e quer que os outros se explodam. O centro é contrário a ser do contra.

A esquerda pensa nos outros, no coletivo, no a-gente. A direita age, no máximo, pela própria categoria. A extrema esquerda quer que todos ajam no coletivo, pela gente. A extrema direita acha que ninguém é igual a ela. O centro escolhe não escolher.

A esquerda é um por todos e todos por um. A direita é farinha pouca meu pirão primeiro. A extrema esquerda é Chaos AD, Tanks on the streets. Confronting police. Bleeding the plebs, mas como crítica. A extrema direita é capitão Nascimento, primeiro filme. O centro é devagar, devagar, devagarinho.

A esquerda é movimento. A direita, estática. A extrema esquerda é espoleta, a extrema direita, explosão. O centro é em cima do muro.

A esquerda é para frente, a direita, para trás. A extrema esquerda é para um lado, a extrema direita, para o outro. O centro é ponto morto.

A esquerda quer mais diálogo, a direita, um líder, a extrema esquerda um líder forte que dialogue, a extrema direita, o filho de deus. O centro dos Beatles E dos Rolling Stones.

Aliás...
A esquerda é Beatles. A direita, Rolling Stones. A extrema esquerda, Clash. A extrema direita, Johnny Ramone, só ele. O centro pergunta do jogão de ontem.

A esquerda quer arte engajada. A direita acha que a arte deve mirar o sublime. A extrema esquerda não acredita em arte que não seja política. A extrema direita queima livros que não concordem com ela. O centro leu "O pêndulo de Foucault", mas prefere não opinar para não ferir suscetibilidades.

A esquerda muda, a direita fica, a extrema esquerda é a própria revolução, a extrema direita, a involução. O centro passa essa pergunta.

A esquerda é mais Estado, a direita é menos Estado, a extrema esquerda é sem Estado, por um lado, a extrema direita, por outro - ou muito Estado, o que for pior. O centro ainda está indeciso. Ou vota com a maioria.

A esquerda acredita no outro. A direita acredita em si. A extrema esquerda não acredita. A extrema direita acredita em Deus. O centro depende da plateia.

A esquerda é democrática, até ser contrariada. A direita é contrariada pela democracia. A extrema esquerda não é lá muito democrática, a extrema direita não é, definitivamente, democrática. O centro não é contra nem a favor - muito pelo contrário.

A esquerda ri, mas acha que não deveria. A direita não ri, mas acha que deveria. A extrema esquerda não ri, e acha que não deveria. A extrema direita não ri e tem raiva de quem o faz. O centro ri, adora um carnaval, uma mixórdia e uma folia.

A esquerda adora o povo. A direita enxerga no povo identidade. A extrema esquerda se acha o povo. A extrema direita quer acabar com o povo. O centro [se] frequenta, às vezes, o povo.

A esquerda é manifestantes. A direita, O Globo. A extrema esquerda é black bloc, a extrema direita, polícia. O centro quer saber se vai dar praia no fim de semana.

A esquerda é socialista, a direita, corporativista, a extrema esquerda é anarquista, a extrema direita é só imbecil, mesmo. O centro não gosta muito de política.

A esquerda acha que todos são iguais, até que se prove o contrário. A direita acha que todos são diferentes, e ninguém vai provar o contrário. A extrema esquerda prova que todos são iguais, e ai de quem acha o contrário. A extrema direita acha isso uma palhaçada. O centro pede mais calma.

5 comentários:

Romullo Pontes disse...

Dá pra ser de centro-esquerda? Hahahahaha! Não dá pra dizer que concordo com tudo, mas com concordo com quase tudo (falei que era de centro-esquerda), mas tenho que admitir: o texto é genial.

Abraço, Mr. Pelli!

Ronaldo Pelli disse...

e eu lá concordo com tudo o que eu mesmo escrevo? de qualquer forma, agradeço as suas palavras! são totalmente extrema esquerda. ;-)

C. Lima disse...

Que falta de sinceridade intelectual. Você simplesmente coloca a esquerda como detentora das virtudes, e a direita como o lixo. Mostra total falta de conhecimento de filosofia política, e só repete o que a maioria fala, e sem conhecimento profundo das ideologias. Duvido que estudou e sabe o que a ideologia liberal diz, que está muito preocupada sim com a situação ruim que muitos vivem, que tem a paz como uma das ideias centrais, mas simplesmente não vê que o estado controlador (inclusive controlador das nossas vidas privadas, feita de forma a parecer que não faz) que a esquerda gosta, seja bom, pois onde governos de esquerda vigoraram e vigoram, as pessoas perdem suas liberdades e a economia sempre é destruída. E quem queima livros é a extrema esquerda.

mscatatal disse...

Não tem como ser mais imbecil do que o vc escreveu. Não sabe nada da ideologia liberal. Inclusive onde mais se valoriza a arte são em países de direita. Vá estudar, sério e deixa de ser um imbecil alienado!

Ronaldo Pelli disse...

C. Lima e mscatatal, quero também ser leitor do texto, posso?

Primeiro, queria demonstrar a completa falta de coerência em todo o texto. Não é possível fixar uma ideia do que seria esquerda, direita, extrema esquerda e extrema direita. Mas do centro eu entendi um pouco.

Em segundo, e aí concordamos todos, como essa peça demonstra a completa falta de conhecimento da filosofia política [aliás, os senhores poderiam nos iluminar com algumas citações, apenas para o caso de alguém querer se aprofundar] de seu autor. É um ignorante. Se serve de conforto, eu sei disso.

No mais, queria dizer que estou feliz por, finalmente, ter conhecido a juventude liberal. Sabia que ela existia, mas nunca tinha entrado em contato com ela tão diretamente. Fiquem à vontade aqui para encontrar outros textos dessa natureza, caso queiram.

Sugiro esses aqui [igualmente ignorantes das coisas verdadeiras, mas é o que eu posso oferecer]:

http://contonocanto.blogspot.com.br/2014/04/caricaturas-da-esquerda-e-da-direita.html

http://contonocanto.blogspot.com.br/2013/07/nova-esquerda-x-nova-direita.html

http://contonocanto.blogspot.com.br/2013/02/o-individual-o-coletivo-e-o-conservador.html

Abraços

ps. não tenho como refutar os argumentos dos senhores exatamente por me faltar instrução que, com certeza, está presente nos senhores. Se os senhores quiserem acrescentar mais algo, por favor, fiquem à vontade.